Compartilhar isto

Assine a Rock News!

Conteúdos sobre autoconhecimento! :)

Liderança 4.0: as habilidades exigidas de um bom líder

Habilidades de um bom líder
Prof. Roberto Sachs
Compartilhar isto

O conteúdo começa após a sugestão abaixo

Qual é a cor do seu perfil?

Descubra quais são seus pontos fortes e em quais habilidades você precisa investir. Faça o Teste das Cores e comece agora a transformar sua vida.

Trabalho em equipe, inteligência emocional e comunicação assertiva são as 3 habilidades mais valorizadas pelas empresas na hora de contratar. Os dados são de uma pesquisa da empresa de consultoria de recrutamentos Page Group feita em 2020 durante a pandemia.

Tais competências são essenciais, sobretudo, para cargos de liderança. Mas como elas estão se mostrando dentro da sua empresa? Você, como líder, sente-se seguro para afirmar que domina essas skills? Sente falta de alguma delas nos líderes dos seus times?

Problemas de comunicação, dificuldades na tomada de decisões sob pressão e conflitos entre profissionais dentro da empresa têm sido algumas das principais reclamações ouvidas por nós, da Rock Ensina, nas empresas que atendemos.

Dominar as habilidades exigidas de um bom líder é um processo que começa pelo autoconhecimento e passa por desenvolver outras competências que, somadas, irão capacitá-lo para enfrentar os desafios e demandas do ambiente de trabalho.

Entenda a seguir como chegar lá!

Teste das Cores: conheça seus pontos fortes e pontos fracos

Antes de falar sobre as habilidades necessárias para se tornar um bom líder, é preciso olhar para si mesmo e perguntar: quais são as minhas competências hoje? Mais do que capacidade técnica, como estão minhas habilidades comportamentais que permitem com que eu lidere meu time em meio às dificuldades na busca por resultados?

Uma maneira rápida e fácil para entender quais são seus pontos fortes e fracos hoje é fazendo o Teste das Cores, que a Rock Ensina disponibiliza gratuitamente a todos seus alunos antes do início do processo de treinamento. Clique aqui se quiser fazer agora!

O Teste das Cores indica como está o equilíbrio de suas competências em quatro quadrantes, que identificamos por cores:

  • Azul – Identifica sua capacidade de lidar com dados, organização e lógica
  • Verde – Mostra como você lida com as pessoas e sua habilidade de comunicação
  • Amarela – Demonstra habilidade de reflexão, de encontrar saídas criativas e originais
  • Vermelha – Refere-se à sua competência de focar na ação, de correr riscos e empreender

Embora seja praticamente impossível que você atinja pontuação máxima em todos os quatro quadrantes, o caminho para se tornar um bom líder passa por ter consciência e colocar em prática as forças de todas as quatro cores.

Para facilitar esse exercício, criamos a Central Rock de Liderança, identificando quais pontos desenvolver em cada um dos quadrantes a fim de se tornar um bom líder. Veja no gráfico abaixo:

Central Rock de Liderança - As habilidades necessárias para se tornar um bom líder

Azul: Propósito, Gestão do Conhecimento e Gestão do Tempo

As características do mercado de trabalho hoje indicam que boa parte das lideranças já está concentrada na chamada Geração Y, os millennials, na faixa dos 30 aos 40 anos.

Trata-se da geração que mais se beneficiou das transformações digitais da virada do século. Dominam a tecnologia, têm acesso a conhecimento do mundo todo, graças à globalização, e foram os primeiros a questionar os valores corporativos, de lucro e competição acirrada das gerações anteriores.

No Teste das Cores desse grupo, a cor Azul também é bastante alta. Ou seja, estamos falando de uma geração de líderes que têm a racionalidade como ponto forte, muito apegada a dados e processos, com crenças sólidas e até um certo conservadorismo. Muitas opções costumam levá-los a sofrer de ansiedade e angústia.

Um dos requisitos para que esses líderes se engajem é a definição de um propósito claro. O propósito é o farol, é a razão de ser que fará com que eles vejam sentido no trabalho. Mais até que o salário, o cargo que ocupam ou as tarefas que desempenham.

Além disso, como mencionamos acima, é uma geração que se formou na Era do Conhecimento e que sabe que informação é poder. Para obter sucesso em suas empreitadas, eles vão atrás de indicadores (KPIs) e ferramentas que os permitam acompanhar cada etapa do processo.

Esses profissionais mergulham em um eterno aprendizado, muitas vezes solitário e exaustivo. O líder azul sabe que ninguém vai poder estudar os relatórios por ele, correr atrás de novas tendências, organizar a sua agenda e, ainda, garantir que tudo está dentro do propósito perseguido.

Planejamento e disciplina são competências essenciais para esse novo líder, que ainda tem de cuidar muito bem do que chamamos de Gestão dos Recursos Escassos: falta de tempo, orçamentos apertados e falta de energia mental.

Verde: Comunicação, Gestão à Vista e Trabalho em Equipe

Duas das três habilidades mais exigidas de um bom líder estão dentro do espectro da cor Verde. A habilidade de se comunicar com assertividade e a de trabalhar bem em equipe.

Embora a cor Verde, ligada a relacionamento interpessoal, seja a que mais aparece nos testes realizados pela Rock Ensina, os problemas de comunicação estão entre as principais dores das empresas de todo o país.

É verdade que o brasileiro é, por natureza, um ser social, mas isso não é o mesmo que manter uma comunicação assertiva no trabalho. Ainda mais quando consideramos que se comunicar é entender o seu interlocutor e adaptar sua comunicação ao perfil dele. Vale lembrar que vivemos um período inédito na história em que até 5 gerações diferentes convivem no mesmo ambiente de trabalho: Veteranos, Baby Boomers, Geração X, Y e Z.

Em linhas gerais, uma comunicação mais assertiva compreende a capacidade de usar recursos visuais e ferramentas tecnológicas, com mensagens mais diretas e objetivas, adequadas às gerações mais novas.

Comunicar-se bem também é praticar feedback constante. Pesquisa da consultoria PWC indicou que 60% dos funcionários gostariam de receber feedback semanal ou diário. Outro estudo, da Towers Watson, mostrou que liderados que recebem feedback semanal têm aumentos de até 60% em seu desempenho.

Outro aspecto importante na comunicação entre líder e liderados é apresentar um plano de batalha, ou seja, uma lista de princípios claros que deixem explícito aos liderados o que se espera deles. Chamamos isso de Gestão à Vista.

Por fim, quando falamos em trabalhar bem em equipe, o bom líder é aquele que possui habilidades para criar ambientes mais positivos no trabalho, influenciar pessoas, saber trabalhar com pessoas difíceis e neutralizar as tóxicas, além de unir talentos em torno de um propósito comum.

Amarela: Inteligência Emocional, Criatividade e Inovação

Segunda habilidade mais exigida de um bom líder, atrás apenas do trabalho em equipe, a inteligência emocional consiste na capacidade de trabalhar sob pressão com foco e agilidade na busca por resultados.

Bastante afetada pela pandemia e crise econômica que enfrentamos, a inteligência emocional faz parte do grupo Amarelo, que reúne algumas das habilidades mais em falta nas lideranças.

Espremidos entre o topo da pirâmide (presidentes ou diretores) e a base (funcionários que fazem a máquina girar), muitos líderes estão presos a uma rotina mais tática e operacional do que estratégica. Agem como chefes e supervisores, e não como líderes.

Desenvolver inteligência emocional para resistir a essa pressão é essencial para que o líder consiga preservar sua energia mental para exercer uma liderança focada na estratégia, com espaço para ter ideias, planejar, respirar, frear e decidir com distanciamento.

Praticar a procrastinação saudável, com uma boa noite de sono ou conversas descontraídas no meio do expediente, pode ajudar a reunir mais elementos antes da tomada de uma grande decisão.

Um dos aspectos mais desejáveis para os líderes é a criatividade, que não é algo que se nasce com ela, ao contrário do que muitos pensam. A capacidade de se tornar um gerador de ideias é uma competência de todos, pode ser desenvolvida, treinada e praticada quanto mais o líder se dedicar a atividades como leitura, artes, cinema, música, jogos etc.

Reservar momentos de descontração e reflexão, exercitando o lado não verbal do cérebro, também favorecem a imaginação. É como numa academia: quem treina mais fortalece os músculos, quem pratica skills criativos tende a reativar a neuroplasticidade do cérebro e conseguir gerar soluções e insights de muito mais qualidade.

Claro que há uma diferença entre ter ideias e aplicá-las. Lembre-se: criatividade é saber gerar ideias, mas inovação é conseguir colocá-las em prática.

Vermelha: Empreendedorismo, Antifragilidade e Tomada de Decisão

Depois de dominar todas as habilidades acima, o líder 4.0 é aquele capaz de ocupar os espaços, de transformar a realidade, de se tornar um empreendedor.

Em seu livro Geração de Valor, Flavio Augusto, fundador da rede de escolas Wise Up, lista três habilidades de um bom empreendedor: Visão, Competência e Coragem.

Como vimos acima, Visão é saber aonde se quer chegar, mas também saber comunicar esse plano de batalha a seu time. Competência é também saber se comunicar, mas também analisar os indicadores, identificar oportunidades e reunir as pessoas certas para a tarefa.

Ou seja, para se tornar finalmente um líder Vermelho, é necessário dominar skills das três outras cores: Azul, Verde e Amarela.

Outras habilidades de um líder Vermelho incluem características de antifragilidade, ou seja, de beneficiar-se do caos, dos pequenos estressores e aprender com os erros que virão. Por mais experiente que seja como líder, você vai errar, sim, mas é importante encarar isso como aprendizado para que os próximos estágios sejam melhores.

Bons líderes também sabem exercer a tomada de decisão. Precisam decidir antes que alguém decida por eles, ou pior, que o mercado já tenha tomado a frente.

Uma boa dica para desenvolver a tomada de decisão é o que chamamos na Rock Ensina de Fórmula 70 x 100: decida com 70% de certeza e se comprometa 100% com o resultado. Só assim é possível acompanhar a dinâmica acelerada do mercado. E uma vez tomada sua decisão, evite planos B ou C. Vá atrás de seu objetivo com comprometimento e sem olhar para trás. Se der errado pivote, e comece tudo de novo.

Escola de Líderes: Liderança 4.0 e Geração Y

Agora que você já sabe as habilidades necessárias para se tornar um bom líder ou para melhorar a sua liderança, gostaria de convidá-lo a conhecer nossa Escola de Líderes Rock Ensina. Oferecemos treinamentos sob medida para a sua empresa, com aulas ao vivo e orientadas para as principais dores do seu segmento. Temos experiência com empresas do Brasil real e falamos a língua de todas as gerações.

Na Escola de Líderes da Rock Ensina você aprende:

  • Como ser gestor em cenário de mudanças
  • Como se comunicar e liderar as novas gerações
  • Como ser mais criativo
  • Como inovar sob pressão
  • Como tomar decisões difíceis
  • Como inspirar, dar autonomia e formar líderes

Conheça nossas condições e entre em contato através de nossa página oficial.

Qual é a cor do seu perfil?

Descubra quais são seus pontos fortes e em quais habilidades você precisa investir. Faça o Teste das Cores e comece agora a transformar sua vida.